01/04/2020

Covid-19, estudo aponta que vitamina D pode auxiliar na prevenção

A vitamina D pode ser uma grande aliada na prevenção ao novo coronavírus. É o que aponta um estudo da Universidade de Turim (Itália), divulgado no dia 26 de março, pelo jornal italiano La Repubblica. Grande parte das pessoas hospitalizadas por estarem infectadas pelo Covid-19 possuem carência de vitamina D. O documento mostra que a absorção desse nutriente não indica a cura da doença, mas pode auxiliar na redução dos fatores de risco. 

Os professores Giancarlo Isaia e Enzo Medico, responsáveis pela análise, recomendam o consumo de vitamina D para o combate à pandemia. “A compensação por essa ampla deficiência de vitamina pode ser alcançada principalmente expondo-se à luz do sol o máximo possível, mesmo em varandas e terraços, consumindo alimentos ricos em vitamina D e, sob supervisão médica, tomando medicamentos específicos”, afirmam os pesquisadores. 

Na Itália, a hipovitaminose D afeta fortemente os idosos neste período. Contudo, os cientistas recomendam que, além desse grupo, os médicos devem garantir os níveis adequados da vitamina às pessoas afetadas pelo vírus, direta ou indiretamente, àquelas mais frágeis e às que não se expõem ao sol. 

 

DEFIXA® 

Para prevenir e suprir as carências de vitamina D, a Kress indica o suplemento alimentar Defixa®. Seu principal componente, a vitamina D3 (colecalciferol), auxilia no fortalecimento do sistema imunológico e regula os níveis de cálcio e fósforo no sangue, indispensáveis para a formação de ossos e dentes saudáveis.  

Mais detalhes sobre o produto, você encontra clicando aqui. 

 

Achou esse texto importante? Compartilhe em suas redes sociais para que mais pessoas se informem. 

+ Saiba mais
Compartilhe:

27/03/2020

3 grandes mitos sobre alimentação que você precisa conhecer

Se alimentar de forma saudável é algo que todos nós devemos fazer. E não adianta pegar pesado na academia, correr, praticar esportes, enfim, se exercitar com frequência, mas comer sem se importar com os alimentos ingeridos.

 

A alimentação é o fator principal quando falamos em saúde e boa forma. Porém, com a velocidade no compartilhamento de informações, além de não procurarem o auxílio de profissionais, as pessoas acabam acreditando em afirmações equivocadas. São os famosos “mitos”, e hoje vamos te apresentar três deles.

 

  1. Ficar sem comer emagrece

 

Na esperança de perder peso rapidamente, muita gente acaba ficando sem se alimentar por horas e até dias. Esse é um dos maiores mitos no que diz respeito à alimentação.

 

Ficar sem comer, além de não ajudar no emagrecimento, dificulta na eliminação de peso, já que o seu metabolismo fica mais lento. Para emagrecer, você deve comer a quantidade certa, levando em conta os nutrientes que o seu organismo precisa, várias vezes ao dia.

 

  1. Ovo aumenta o colesterol

 

Durante muito tempo o ovo foi considerado um alimento nocivo, já que contém 213 miligramas de colesterol em sua gema. Porém, vários estudos já tornaram essa ideia um mito. Eles comprovam que o alimento, além de não fazer mal à saúde, colabora com a memória, a capacidade cognitiva e ajuda a na formação de novos neurônios.

 

  1. Banana engorda

 

Existem frutas com menos calorias que a banana? Certamente! A maçã e o abacaxi, por exemplo, possuem em média 50 kcal, enquanto a “queridinha do Brasil” chega às 90 kcal.

 

Mesmo assim, a banana deve sim fazer parte da sua dieta diária. Ela possui uma combinação de fibras e carboidratos que saciam sua fome por mais tempo, fazendo com que você ingira menos alimentos e, consequentemente, emagreça.

 

Além disso, por ser uma fruta doce e suave, pode ajudar a matar aquela vontade de comer um docinho no meio da tarde.
Esses são apenas alguns dos mitos no que diz respeito à alimentação. Mas lembre-se! O ideal é sempre buscar a orientação de um nutricionista, afinal, cada organismo possui uma necessidade específica de nutrientes e vitaminas.

+ Saiba mais
Compartilhe:

01/06/2019

Aumente a imunidade de forma natural: saiba quais alimentos podem te ajudar!

Imunidade é o nome que damos à capacidade do organismo de se defender de invasores, no caso vírus, bactérias ou fungos que possam causar doenças. Quando ela está baixa, ficamos muito mais propensos a ter pequenas e grandes infecções e quadros como gripes.

Se você percebeu que sua imunidade anda em baixa, uma ótima pedida é apostar em ajustes nas refeições. Isso porque os alimentos são ricos em vitaminas, minerais e outras substâncias que auxiliam na manutenção do sistema imunológico.

Ao atingir a recomendação diária de consumo de frutas e vegetais, você já garante uma defesa melhor para o seu organismo. Anote aí: o consumo deve ser de cinco porções por dia, sendo três de frutas e duas de vegetais. A seguir, confira os melhores alimentos para sua imunidade e não deixe de incluí-los no seu prato:

1. Frutas cítricas

Frutas cítricas, como laranja, acerola, kiwi, tomate, além de brócolis, couve e pimentão verde e vermelho são ricos em vitamina C, antioxidante que aumenta a resistência do organismo.

2. Vegetais verdes escuros

Alimentos como brócolis, couve, espinafre são ricos em ácido fólico. O nutriente auxilia na formação de glóbulos brancos, responsáveis pela defesa do organismo, e também pode ser encontrado no feijão, cogumelos (como o shimeji e o shiitake) e a carne de fígado.

3. Alimentos ricos em zinco

Carne, cereais integrais, castanhas, sementes e leguminosas (feijão, lentilha, ervilha, grão de bico), são ricos em zinco, nutriente que combate resfriados, gripes e outras doenças do sistema imunológico

4. Oleaginosas

Além de zinco, as nozes, castanhas, amêndoas e óleos vegetais (de girassol, gérmen de trigo, milho e canola) são ricos em vitamina E. Ela é benéfica, principalmente para os idosos, agindo no combate à diminuição da atividade imunológica por conta da idade

5. Tomate

Rico em licopeno, o tomate é forte aliado para combater doenças cardiovasculares, removendo radicais livres do organismo. Esses compostos aceleram o envelhecimento celular e deixam o corpo mais propício a desenvolver doenças.

6. Alimentos fonte de ômega-3

O ômega 3 presente, por exemplo, no azeite e no salmão, auxilia as artérias a permanecerem longe de inflamações, ajudando a imunidade do corpo.

7. Fontes de antioxidantes

A castanha-do-Pará e cogumelos (como o champinhom) contêm selênio, um forte antioxidante que combate os radicais livres, melhorando a imunidade do corpo e acelerando a cicatrização do organismo

8. Gengibre

Rico em vitaminas C, B6 e com ação bactericida, o gengibre vai além de ajudar a tratar inflamações da garganta e auxilia nas defesas do organismo.

9. Pimenta

A pimenta é fonte de betacaroneto, substância que se transforma em vitamina A, nutriente que protege o organismo de infecções.

10. Iogurte

O consumo regular de iogurte ajuda a recompor as bactérias benéficas da flora intestinal– chamadas probióticos. Elas são verdadeiros soldados lutando para expulsar do organismo as bactérias “ruins”. Esses microrganismos contribuem para aumentar a imunidade. O intestino saudável é capaz de separar o que não nos faz bem e absorver os principais micronutrientes, como as vitaminas.

11. Alho

O alho, além de trazer um sabor delicioso para os mais diversos pratos, reduz e ajuda a diluir o muco nos pulmões, sendo eficaz contra tosse persistente e bronquite. Inclusive, o alho pode ser consumido junto a antibióticos. Por ser rico em vitamina A, C e E, alho é um forte aliado para reforçar o sistema imunológico.

12. Cebola

A cebola é rica em substâncias anti-inflamatórias, antivirais, antiparasitárias, antibacterianas e antifúngicas, como a alicina, que ainda reduz o risco de alguns tipos de câncer, como o de boca, laringe, esôfago, cólon, mamas, ovário e rins. Por isso, é um ótimo remédio para afastar gripes, resfriados e infecções em geral.

13. Geleia real

A geleia real é um superalimento recheado de nutrientes, fitoquímicos e antioxidantes, e esta composição química notável é a responsável por seus inúmeros benefícios à saúde. Ao ser consumida em jejum, ela aumenta a imunidade por conter altas concentrações de vitaminas, principalmente a vitamina C e do complexo B.

14. Própolis

O própolis contém proteínas e compostos com capacidade de alterar e regular o sistema imunológico, além dos benefícios de ser antibacteriano e antiviral. O própolis ativa os passos iniciais da resposta imune estimulando receptores específicos e a produção de citocinas, que modulam os mecanismos da imunidade.

15. Óleo de coco

O ácido láurico e o ácido cáprico, presentes no óleo de coco, tem a propriedade de modular o sistema imunológico, agindo contra fungos, vírus e bactérias. Além disso, uma forma indireta de ele contribuir com a imunidade está na melhora do trabalho do intestino ao eliminar as bactérias ruins.

16. Lichia

A lichia é excelente fonte de vitamina C – cada 100 gramas do fruto apresenta 71,5 mg da vitamina, o que ajuda a prevenir gripes e resfriados. Somado a isso, as antocianinas da lichia desempenham uma função farmacológica importante contra várias doenças, como cardiovasculares, doenças crônico degenerativas, câncer, inflamações, imunidade baixa e alergias.

17. Batata yacon

Por agir estimulando o crescimento da flora intestinal benéfica, a batata yacon é efetiva no extermínio de bactérias que entram em nosso organismo por meio da alimentação. Assim, o desenvolvimento da flora intestinal proporcionado pela batata yacon ajuda diretamente na prevenção de doenças e no fortalecimento da imunidade.

  1. Gérmen de trigo

O gérmen de trigo acumula vitaminas A, E e K em grandes quantidades, que possuem excelente poder antioxidante, previnem o envelhecimento das células e contribuem para o aumento da imunidade, além de ajudar a regular o sistema digestório, estimular o apetite e tonificar a pele, mantendo-a saudável. Ele também é responsável pela boa coagulação sanguínea e contribui para o fortalecimento dos ossos. O gérmen de trigo pode ser consumido em molhos, iogurtes, frutas e outros alimentos como complemento alimentar.

+ Saiba mais
Compartilhe:

18/05/2019

Mitos e verdades sobre a alimentação

 

Afinal, o ovo faz bem ou mal? Tomar líquido durante as refeições pode ou não? Quantas vezes devo comer por dia?

E assim vai… uma hora é uma coisa e depois já é outra. Neste post gostaríamos de pelo menos comentar algumas questões sobre a alimentação que são aprovadas cientificamente e podem fazer a diferença em nosso dia a dia e rotina. Você já sabe, mas repetimos: alimentar-se de forma adequada é essencial para levar uma vida saudável! E né, nesse ponto ninguém discorda!

 

Confira abaixo 5 mitos e 5 verdades sobre a alimentação:

Comer sempre os mesmos alimentos, sem variar o cardápio, pode trazer danos à saúde. É importante variar para que o corpo receba todos os nutrientes essenciais.

Uma alimentação rica em fibras auxilia no emagrecimento. Além de produzir maior sensação de saciedade, auxiliam no funcionamento intestinal e podem interferir na absorção de nutrientes, especialmente gorduras e açúcares.

Dormir pouco pode sim engordar. Ao reduzir horas de sono, o organismo estimula maior produção de cortisol, elevando o estresse e preparando o organismo para o perigo iminentes e, assim, ajuda a acumular gordura.

A cafeína pode sim contribuir para a perda de peso. Mas não dependa disso, a contribuição é pequena e temporária.

 

Alimentos orgânicos não são menos calóricos que os convencionais. São alimentos que foram cultivados sem o uso de agrotóxicos e nem de aditivos químicos.

Tomar qualquer tipo de bebida durante as refeições não é prejudicial. Até 200 ml de água ou bebidas com baixas calorias não atrapalha a digestão. Já o consumo de refrigerantes e bebidas gaseificadas prejudicam a absorção de cálcio, ferro e vitaminas da alimentação.

Ficar sem comer não emagrece. O jejum retarda o metabolismo, dificultando o emagrecimento.

Deitar logo após a refeição não retarda a digestão. Ao deitar, o organismo concentra suas atividades no sistema digestivo, acelerando o processo.

Gostamos do assunto, e você? A gente vai pesquisar mais e espera que você se aproprie de algumas dicas saudáveis e alimente-se cada vez melhor.

18

+ Saiba mais
Compartilhe:

21/02/2017

3 grandes mitos sobre alimentação que você precisa conhecer

Se alimentar de forma saudável é algo que todos nós devemos fazer. E não adianta pegar pesado na academia, correr, praticar esportes, enfim, se exercitar com frequência, mas comer sem se importar com os alimentos ingeridos.

 

A alimentação é o fator principal quando falamos em saúde e boa forma. Porém, com a velocidade no compartilhamento de informações, além de não procurarem o auxílio de profissionais, as pessoas acabam acreditando em afirmações equivocadas. São os famosos “mitos”, e hoje vamos te apresentar três deles.

 

  1. Ficar sem comer emagrece

 

Na esperança de perder peso rapidamente, muita gente acaba ficando sem se alimentar por horas e até dias. Esse é um dos maiores mitos no que diz respeito à alimentação.

 

Ficar sem comer, além de não ajudar no emagrecimento, dificulta na eliminação de peso, já que o seu metabolismo fica mais lento. Para emagrecer, você deve comer a quantidade certa, levando em conta os nutrientes que o seu organismo precisa, várias vezes ao dia.

 

  1. Ovo aumenta o colesterol

 

Durante muito tempo o ovo foi considerado um alimento nocivo, já que contém 213 miligramas de colesterol em sua gema. Porém, vários estudos já tornaram essa ideia um mito. Eles comprovam que o alimento, além de não fazer mal à saúde, colabora com a memória, a capacidade cognitiva e ajuda a na formação de novos neurônios.

 

  1. Banana engorda

 

Existem frutas com menos calorias que a banana? Certamente! A maçã e o abacaxi, por exemplo, possuem em média 50 kcal, enquanto a “queridinha do Brasil” chega às 90 kcal.

 

Mesmo assim, a banana deve sim fazer parte da sua dieta diária. Ela possui uma combinação de fibras e carboidratos que saciam sua fome por mais tempo, fazendo com que você ingira menos alimentos e, consequentemente, emagreça.

 

Além disso, por ser uma fruta doce e suave, pode ajudar a matar aquela vontade de comer um docinho no meio da tarde.
Esses são apenas alguns dos mitos no que diz respeito à alimentação. Mas lembre-se! O ideal é sempre buscar a orientação de um nutricionista, afinal, cada organismo possui uma necessidade específica de nutrientes e vitaminas.

+ Saiba mais
Compartilhe:

12/01/2017

O que comer na praia?


Fome na praia é algo normal e até bem corriqueiro. Mas é fato que não devemos exagerar e sim fazer escolhas leves para não passar mal nas areias. Para fugir de industrializados e lanches de origem duvidosa, sempre é bom levar de casa o seu próprio arsenal de lanches. Separe o isopor ou cooler e vamos lá!

 

Comece pela água doce e filtrada. Ela é indispensável para hidratação e para amenizar o calor!

água filtrada

Depois parta para frutas que também ajudam na hidratação e são muito nutritivas. Leve de casa em potinhos.

frutas praia

Os sanduíches naturais são boas opções desde que sejam preparados com ingredientes lights. Evite a maionese.

sanduiche natural

Pode não ser tão comum, mas os vegetais também são excelentes. Cenoura baby, tomate cereja e pepino em tiras podem afastar a fome na praia.

cenoura baby

Algo típico na praia é o milho verde cozido. É uma opção saudável desde que a barraca escolhida para compra seja higiênica e você não exagere no sal.

Alguns industrializados de pacotinho também podem ajudar, nada de chips ou coisas do tipo, estamos falando de amendoim sem casca, castanhas, caju, amêndoas, soja torrada e até mesmo cookies integrais, barra de cereais, além do clássico biscoito de polvilho.

biscoito de polvilho

 

+ Saiba mais
Compartilhe: