19/01/2021

Antioxidantes: o que são e em quais alimentos são encontrados?

Os antioxidantes são importantes substâncias que possuem a responsabilidade de proteger as células saudáveis do nosso corpo. Isso porque elas podem sofrer ataques com frequência, causando problemas leves, mas também doenças graves.

Para entender melhor como isso acontece, vamos conhecer um pouco mais sobre os radicais livres.

O que são radicais livres?

Os radicais livres (também chamados de agentes oxidantes) são moléculas que não possuem um número par de elétrons na sua última camada eletrônica. O assunto pode parecer algo complicado, mas, de forma simples, eles apresentam instabilidade e, assim, buscam nas células vizinhas este equilíbrio de elétrons, ou seja, oxidam as células sadias.

Essa ação acontece naturalmente no nosso organismo e pode ser facilmente neutralizada. Alguns estudos indicam que os oxidantes têm papel fundamental na transformação de células de gordura em músculos.

Porém, o seu excesso é prejudicial. A intensidade pode causar o envelhecimento precoce da pele, com rugas e flacidez, e levar ao desenvolvimento de diabetes, obesidade, hipertensão, doenças degenerativas, como Parkinson e Alzheimer, e alguns tipos de câncer.

Hábitos ruins, como uma dieta irregular, o consumo exagerado de álcool e tabaco, além de fatores externos, como a poluição e a radiação ultravioleta, contribuem para o aumento da produção dos radicais livres.

Por isso, é tão importante a presença das substâncias capazes de impedir essa ação negativa. Vitaminas e outros nutrientes antioxidantes são encontrados em alimentos que auxiliam na defesa. Abaixo, você conhece algumas dessas fontes.

Alimentos antioxidantes

1. Óleos vegetais

Os óleos vegetais são gorduras extraídas de plantas que concentram a vitamina E, importante agente antioxidante na proteção dos danos causados à pele. Além disso, este nutriente, que é um conjunto de tocoferois, possui ação hidratante.

2. Frutas vermelhas e cítricas

Melancia, uva, cereja, morango, amora, ameixa e outras frutas com tons avermelhados são grandes fontes de flavonoides, um conjunto de substâncias que contribuem para evitar a formação dos radicais livres. Frutas cítricas, como laranja e limão, são ricas em vitamina C (ácido ascórbico) que, por sua vez, promove o rejuvenescimento da pele e auxilia no tratamento de manchas causadas pelos raios solares.

3. Cenoura

A cenoura é uma raiz rica em vitamina A (retinol), grande aliada da pele, pois ajuda na redução de linhas de expressão e proporciona a renovação celular.

4. Açafrão

A especiaria originária da Ásia é rica em curcumina, um pigmento que possui ação anti-inflamatória e anti-idade.

5. Aveia

A aveia é um cereal fonte de silício, que ajuda na estruturação da pele e no fortalecimento das unhas e do cabelo.

Foto: Jannis Brandt/Unsplash

Além dos alimentos citados aqui, podemos encontrar antioxidantes em diversos outros produtos, como dermocosméticos, e suplementos alimentares, como o Imeoxy-E, que possui alto teor de vitamina E, que auxilia na proteção dos danos causados pelos radicais livres.

Lembre-se: em caso de dúvidas ou restrições ao consumo destes nutrientes, consulte um especialista para a melhor indicação à sua saúde!

Gostou deste texto? Compartilhe em suas redes sociais!

+ Saiba mais
Compartilhe:

25/11/2020

Pacran: o que é e quais os benefícios do extrato de cranberry?

Ardência ao urinar, necessidade constante de fazer xixi, urina avermelhada e dores são sintomas de infecção urinária. Segundo o Ministério da Saúde, as mulheres estão mais sujeitas a este problema do que os homens, sendo que 30% delas terão infecção urinária leve ou grave em algum momento da vida.  

A doença é bastante comum, mas pode ser evitada com algumas atitudes simples, como beber bastante água e, sempre que sentir vontade, ir ao banheiro para urinar. 

Para o tratamento, o uso de antibióticos é o procedimento mais popular. Porém, o Pacran, substância extraída do cranberry (pequena fruta nativa da América do Norte), vem se tornando conhecido devido seus benefícios em relação às infecções do trato urinário (ITU). 

Mas o que é o Pacran? 

O Pacran é um extrato da fruta cranberry (também chamada de arando, airela ou oxicoco), rico em vitamina C e que possui uma alta concentração das proantocianidinas, que são potentes antioxidantes

Com a ação destes compostos, as bactérias não conseguem se fixar às paredes do trato urinário (uretra, bexiga, ureteres e rins), evitando o aparecimento de doenças, como cistite, uretrite e nefrite, e promovendo saúde e bem-estar. 

A substância também é uma forte aliada ao sistema imunológico, já que a pequena fruta vermelha apresenta as vitaminas A e C. 

Como consumir? 

O Pacran é encontrado em suplementos, como o Cranberola Caps, um lançamento da Kress Farmacêutica, indicado principalmente para as mulheres que sofrem com as infecções do trato urinário. Além disso, este suplemento alimentar não contém glúten, lactose ou açúcar. 

Já o cranberry, por ser uma fruta cultivada nos Estados Unidos e Canadá, não é facilmente encontrado no Brasil, mas pode ser adquirido em polpa para a realização de sucos. 

Mesmo com seus benefícios, tanto a fruta quanto seu próprio extrato devem ser ingeridos de maneira moderada e, preferencialmente, sob a orientação médica. Isso porque, em excesso, eles podem causar riscos à saúde. 

Agora que você já sabe um pouco mais do Pacran e do cranberry, aproveite para compartilhar este texto em suas redes sociais! 

+ Saiba mais
Compartilhe:

19/10/2020

Probióticos: o que são, para que servem e como tomar?

Os probióticos são bactérias benéficas presentes no nosso intestino e que auxiliam em todo o funcionamento do nosso organismo. Eles facilitam a digestão e a absorção de nutrientes, e fortalecem a imunidade.

É na microbiota (ou flora) intestinal, onde existe um grupo de várias bactérias, que os probióticos promovem o aumento das “bactérias do bem” e impedem o desenvolvimento de outros micro-organismos que causam doenças.

Cuidar da flora intestinal é fundamental para nossa saúde, pois é com o auxílio dela que os alimentos são digeridos, as toxinas são eliminadas, o sistema imunológico é estimulado, entre outros processos.

Além da ajuda ao intestino e o fortalecimento das defesas do corpo, o consumo dos probióticos é capaz de fazer bem para pele, podendo diminuir o surgimento de cravos e espinhas, melhorar a absorção de vitaminas e minerais, auxiliar na digestão da lactose, reduzir o colesterol e contribuir para o bom humor.

Com tantos benefícios, você pode se perguntar: “como tomar os probióticos?”. Abaixo você conhece as duas formas principais: através de alimentos e suplementos.

Alimentos probióticos

Iogurte natural: um dos principais e de fácil acesso. Alguns iogurtes com sabor podem ser fontes de bactérias benéficas.

Leite fermentado: também é facilmente encontrado. Contém Lactobacillus, um gênero de bactérias boas.

Kefir: bebida fermentada composta por bactérias e leveduras probióticas. Pode ser produzida em casa com os grãos do próprio kefir, leite comum ou água e açúcar mascavo.

Kombucha: outra bebida fermentada, porém, é produzida através de chás, como o chá preto e o chá branco.

Chucrute: prato tipicamente alemão feito a partir da fermentação das folhas do repolho ou da couve. Também é rico em vitaminas C e K.

Suplementos probióticos

Os probióticos podem ser encontrados como suplementos em cápsulas, comprimidos ou sachês. É importante que você tome estes produtos apenas sob orientação médica, pois o excesso pode promover o efeito inverso do principal benefício que tratamos aqui, que é o equilíbrio da flora intestinal.

Caso for recomendado, o Reflorinte é um dos probióticos encontrados em sachê que contém Bifidobacterium lactis, um micro-organismo presente na microbiota humana.

Ele alivia o intestino preso e a dor abdominal, reduz a inflamação do cólon intestinal, melhora as disfunções de digestão e restaura a flora intestinal.

Vale lembrar que todos podem ingerir os probióticos, seja qual for a idade. Idosos e crianças são grandes beneficiados já que possuem o organismo mais sensível pela idade avançada ou, no caso infantil, por ainda estar em formação.

Apenas quem tiver alguma alergia ou intolerância aos compostos deve dispensar o consumo.

Agora que você sabe o que são os probióticos e suas principais fontes, o que acha de compartilhar essas informações para que mais pessoas conheçam seus diversos benefícios? 😉

+ Saiba mais
Compartilhe:

24/09/2020

Metabolismo: entenda a influência na perda e no ganho de peso

Para ter uma vida saudável, é necessário conhecermos nosso próprio corpo. Cada indivíduo possui características e condições diferentes que influenciam no funcionamento do organismo.

O metabolismo é a junção de processos químicos e físicos que trabalham para completar as energias e estruturas necessárias a todos nós. Alguns resultados dessas reações podem ser o ganho de energia, a produção de proteínas, ácidos nucleicos, polissacarídeos, entre outros.

Algo bastante comum é ouvirmos as pessoas falarem em metabolismo acelerado e lento.

O primeiro faz com que as calorias sejam queimadas de forma mais rápida, dificultando o ganho de peso, já que a concentração de gordura é menor. Já o metabolismo lento proporciona o acúmulo da energia produzida, porque é menos utilizada, facilitando, assim, o ganho de peso.

“Mas o que influencia a produção dessa energia?”

É o que veremos a seguir, com a Taxa Metabólica Basal (TMB).

Taxa Metabólica Basal

A Taxa Metabólica Basal é a energia necessária para que o organismo consiga realizar suas atividades básicas. Essa é a condição que indica a velocidade do metabolismo e como está relacionado ao ganho ou perda de massa.

São considerados o peso, altura, idade e sexo da pessoa, além de suas atividades realizadas diariamente. A partir de um cálculo, o resultado apresentado mostra o ritmo de gasto calórico, sendo possível compreender o número de calorias recomendadas, tanto para manter, perder ou ganhar peso.

Para descobrir essas informações, o ideal é procurar as orientações de nutricionistas e endocrinologistas. Estes profissionais poderão apontar os melhores procedimentos e garantir sua saúde e bem-estar.

Enquanto isso, lembre-se de manter uma alimentação saudável, fazendo uma boa hidratação diária e praticando exercícios físicos regularmente. Seu corpo agradece!

Gostou deste texto? Compartilhe em suas redes sociais!

+ Saiba mais
Compartilhe:

08/09/2020

Dicas para fortalecer a imunidade

Com mudanças repentinas de temperatura e a constante exposição a doenças, é cada vez mais importante estar com a saúde em dia e garantir a defesa do organismo contra infecções.

Para ter um sistema imunológico forte, algumas atitudes são fundamentais e devem ser empregadas na rotina.

Neste texto, separamos quatro dicas para fortalecer a imunidade, além de explicar melhor seu funcionamento e quais os sintomas que devem receber atenção. Confira!

O que é imunidade?

Segundo o CCM Saúde, a imunidade consiste em vários mecanismos que defendem o organismo contra agentes infecciosos, como vírus, bactérias e fungos.

Existem dois tipos de imunidade: a inata e a adquirida.

  • Imunidade inata: nós já nascemos com esse tipo de imunidade, que atua sempre de maneira igual para evitar doenças. A pele, leucócitos e mucosas são alguns componentes da imunidade inata.
  • Imunidade adquirida: desenvolve-se quando temos contato com algum agente invasor estranho e o corpo reage. A partir dessa ação, o organismo cria uma “memória” e pode combater esse micróbio em específico de forma mais rápida e efetiva, caso ocorra um novo ataque.

Como identificar a imunidade baixa?

A imunidade baixa, também chamada de imunodeficiência, acontece quando o organismo não produz células de defesa suficientes para reagir aos agressores. Dessa forma, ficamos mais expostos às doenças.

Alguns sintomas dessa condição são:

  • infecções constantes, como gripes e resfriados;
  • vômitos, diarreia ou náusea;
  • cansaço, febre ou calafrios excessivos;
  • unhas fracas ou queda de cabelo.

Dicas para fortalecer a imunidade

A principal dica para fortalecer a imunidade é ter uma alimentação saudável, sugestão que já mencionamos em outro texto sobre suplementos que auxiliam o funcionamento do sistema imunológico.

Abaixo, você confere mais dicas: 

1. Durma adequadamente

O sono é fundamental para um corpo saudável. Procure dormir regularmente entre 8 e 10 horas por dia. Você precisa repor as energias gastas e à noite é o melhor momento.

Confira: 5 dicas para dormir bem e ter dias muito melhores

2. Beba água com frequência

O Ministério da Saúde recomenda a ingestão mínima de dois litros de água por dia. Se você tem dificuldade em lembrar dessa necessidade, utilize um despertador com horários específicos para você se hidratar.

Sucos, chás e leite não são indicados para substituir a água, pois são compostos por outros elementos que podem ser prejudiciais à saúde, como o açúcar.

3. Pratique exercícios físicos

Realize, no mínimo, 30 minutos de atividades diárias. Elas ajudam a evitar o estresse, grande inimigo da imunidade, e aumentam a quantidade de anticorpos.

Aproveite o seu tempo e movimente-se: 5 exercícios para praticar em casa!

4. Exponha-se ao sol

Ao expor os braços e pernas na luz solar, o corpo produz a vitamina D, essencial para reforçar o sistema imunológico.

Separe 15 minutos por dia, entre 10h e 14h, tempo suficiente e ideal para garantir o nutriente.

Agora que você já sabe como fortalecer sua imunidade, o que acha de divulgar essas dicas? Compartilhe este texto em suas redes sociais!

+ Saiba mais
Compartilhe:
menina sorridente toma suco de laranja, várias laranjas estão a frente

07/07/2020

Dicas de suplementos para fortalecer a imunidade

O sistema imunológico é composto por células e mecanismos de defesa que visam proteger nosso corpo, atacando qualquer organismo estranho a ele e que seja caracterizado como nocivo. Bactérias, fungos, protozoários, helmintos e vírus podem ser um desses agentes combatidos.

Em tempos de pandemia, como a do novo coronavírus, é muito importante ter uma imunidade forte. Também é essencial lembrarmos que ainda não existe uma cura para essa doença, nem um tratamento oficial. A principal prevenção até aqui é o uso de máscaras e o distanciamento de aglomerações!

“Mas como sei que minha imunidade está baixa?”

Cansaço excessivo, unhas fracas, queda de cabelo, estresse, depressão, infecções e outras doenças que demoram semanas para serem curadas, febre ou calafrios frequentes são alguns sintomas de que seu organismo não está muito bem.

Uma pessoa com um bom sistema imunológico, pode se recuperar melhor e mais rápido de eventuais complicações de saúde. Por essa razão, é imprescindível fortalecer a imunidade. E você pode contar com uma boa alimentação para favorecer o seu corpo e deixá-lo ainda mais saudável.

Abaixo listamos alguns suplementos que auxiliam nessas condições. Confira!

Vitamina C

A vitamina C é antioxidante, ou seja, ela tem a função de neutralizar os radicais livres formados no organismo, que atrapalham o seu funcionamento e causam diversos problemas. Laranja, morango, acerola e limão são algumas frutas com vitamina C.

Vitamina D

A falta de vitamina D tem relação a várias doenças, como as autoimunes, diabetes e osteoporose. Ela também atua como um hormônio multifuncional, sendo importante ao sistema imunológico, na absorção de cálcio e no equilíbrio do açúcar no sangue.

Nosso corpo pode produzir esse nutriente através da exposição solar. 15 minutos diários, entre 10h e 14h, já são suficientes. Também é possível encontrar em peixes, como sardinha e atum, e queijos.

Alguns estudos indicam que essa vitamina pode auxiliar na prevenção da Covid-19.

Cálcio

Junto com a vitamina D, o cálcio é um grande aliado para melhorar o sistema imunológico, a formação e manutenção óssea, e regular os impulsos nervosos. Esse mineral é encontrado no leite, queijo, folhas escuras, iogurte natural e grão de bico.

Zinco

O zinco também possui ação antioxidante e contribui para o funcionamento adequado do sistema imunológico. Pode ser absorvido através da gema do ovo, castanhas, amendoim, leite integral e carne vermelha.

Própolis

O própolis é produzido pelas abelhas e rico em aminoácidos, vitaminas e bioflavonóides. Essa substância age como anti-inflamatório, antioxidante, antibacteriano, antifúngico e cicatrizante.

Fique atento a alguns hábitos prejudiciais à saúde e que acabam baixando a imunidade, como o sedentarismo, tabagismo e o consumo excessivo de álcool. Boas noites de sono, exercícios e a ingestão de água também contribuem para um corpo mais forte e saudável.

Agora que você já tem várias dicas para fortalecer sua imunidade, compartilhe estas informações em suas redes sociais!

+ Saiba mais
Compartilhe: