medic-hospital-laboratory-medical-40559

20/02/2017

Causas da “doença da urina preta” ainda não foram identificadas

 

Entre dezembro de 2016 e janeiro deste ano, uma doença misteriosa deixou baianos e cearenses assustados. Mais de 50 pessoas procuraram postos de saúde e hospitais queixando-se de fortes dores musculares e outro sintoma bastante peculiar: a urina escura.

 

Foram 52 casos registrados na Bahia, com duas mortes, e cinco no Ceará, sem nenhum óbito.

 

Ainda não há uma conclusão que aponte a causa exata da doença. Médicos e pesquisadores trabalham com duas hipóteses:

 

Intoxicação por peixe

 

Entre as 52 pessoas que apresentaram os sintomas naBahia, 44 consumiram peixes de água doce, das espécies “olho de boi” e “badejo”. Há outros casos semelhantes espalhados pelo mundo, inclusive um surto ocorrido em 2008, ligado à ingestão do peixe “pacu-manteiga”, que atingiu 27 pessoas no Amazonas.

 

Parechovirus

 

Outra linha de pesquisa para a “doença da urina escura” indica uma possível infecção pelo Parechovirus. Amostras de fezes colhidas entre pacientes infectados foram analisadas por pesquisadores da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Elas indicaram a presença do vírus.

 

Além disso, das cinco pessoas infectadas no Ceará, quatro fazem parte da mesma família e têm ligação com outra que esteve em Salvador, o que aponta para uma possível transmissão.

 

Todos os casos seguem em análise e, até então, nenhuma das duas hipóteses foi identificada como a correta. Também não houve mais registro de novos casos.

 

Como a causa da doença ainda não foi identificada, não é possível afirmar se ela é fruto de intoxicação ou infecto-contagiosa. Assim, a única orientação no momento é para que moradores e turistas evitem o consumo dos peixes citados na região de Salvador.

 


Deixe uma resposta

Compartilhe: