19/10/2020

Probióticos: o que são, para que servem e como tomar?

Os probióticos são bactérias benéficas presentes no nosso intestino e que auxiliam em todo o funcionamento do nosso organismo. Eles facilitam a digestão e a absorção de nutrientes, e fortalecem a imunidade.

É na microbiota (ou flora) intestinal, onde existe um grupo de várias bactérias, que os probióticos promovem o aumento das “bactérias do bem” e impedem o desenvolvimento de outros micro-organismos que causam doenças.

Cuidar da flora intestinal é fundamental para nossa saúde, pois é com o auxílio dela que os alimentos são digeridos, as toxinas são eliminadas, o sistema imunológico é estimulado, entre outros processos.

Além da ajuda ao intestino e o fortalecimento das defesas do corpo, o consumo dos probióticos é capaz de fazer bem para pele, podendo diminuir o surgimento de cravos e espinhas, melhorar a absorção de vitaminas e minerais, auxiliar na digestão da lactose, reduzir o colesterol e contribuir para o bom humor.

Com tantos benefícios, você pode se perguntar: “como tomar os probióticos?”. Abaixo você conhece as duas formas principais: através de alimentos e suplementos.

Alimentos probióticos

Iogurte natural: um dos principais e de fácil acesso. Alguns iogurtes com sabor podem ser fontes de bactérias benéficas.

Leite fermentado: também é facilmente encontrado. Contém Lactobacillus, um gênero de bactérias boas.

Kefir: bebida fermentada composta por bactérias e leveduras probióticas. Pode ser produzida em casa com os grãos do próprio kefir, leite comum ou água e açúcar mascavo.

Kombucha: outra bebida fermentada, porém, é produzida através de chás, como o chá preto e o chá branco.

Chucrute: prato tipicamente alemão feito a partir da fermentação das folhas do repolho ou da couve. Também é rico em vitaminas C e K.

Suplementos probióticos

Os probióticos podem ser encontrados como suplementos em cápsulas, comprimidos ou sachês. É importante que você tome estes produtos apenas sob orientação médica, pois o excesso pode promover o efeito inverso do principal benefício que tratamos aqui, que é o equilíbrio da flora intestinal.

Caso for recomendado, o Reflorinte é um dos probióticos encontrados em sachê que contém Bifidobacterium lactis, um micro-organismo presente na microbiota humana.

Ele alivia o intestino preso e a dor abdominal, reduz a inflamação do cólon intestinal, melhora as disfunções de digestão e restaura a flora intestinal.

Vale lembrar que todos podem ingerir os probióticos, seja qual for a idade. Idosos e crianças são grandes beneficiados já que possuem o organismo mais sensível pela idade avançada ou, no caso infantil, por ainda estar em formação.

Apenas quem tiver alguma alergia ou intolerância aos compostos deve dispensar o consumo.

Agora que você sabe o que são os probióticos e suas principais fontes, o que acha de compartilhar essas informações para que mais pessoas conheçam seus diversos benefícios? 😉

+ Saiba mais
Compartilhe:

24/09/2020

Metabolismo: entenda a influência na perda e no ganho de peso

Para ter uma vida saudável, é necessário conhecermos nosso próprio corpo. Cada indivíduo possui características e condições diferentes que influenciam no funcionamento do organismo.

O metabolismo é a junção de processos químicos e físicos que trabalham para completar as energias e estruturas necessárias a todos nós. Alguns resultados dessas reações podem ser o ganho de energia, a produção de proteínas, ácidos nucleicos, polissacarídeos, entre outros.

Algo bastante comum é ouvirmos as pessoas falarem em metabolismo acelerado e lento.

O primeiro faz com que as calorias sejam queimadas de forma mais rápida, dificultando o ganho de peso, já que a concentração de gordura é menor. Já o metabolismo lento proporciona o acúmulo da energia produzida, porque é menos utilizada, facilitando, assim, o ganho de peso.

“Mas o que influencia a produção dessa energia?”

É o que veremos a seguir, com a Taxa Metabólica Basal (TMB).

Taxa Metabólica Basal

A Taxa Metabólica Basal é a energia necessária para que o organismo consiga realizar suas atividades básicas. Essa é a condição que indica a velocidade do metabolismo e como está relacionado ao ganho ou perda de massa.

São considerados o peso, altura, idade e sexo da pessoa, além de suas atividades realizadas diariamente. A partir de um cálculo, o resultado apresentado mostra o ritmo de gasto calórico, sendo possível compreender o número de calorias recomendadas, tanto para manter, perder ou ganhar peso.

Para descobrir essas informações, o ideal é procurar as orientações de nutricionistas e endocrinologistas. Estes profissionais poderão apontar os melhores procedimentos e garantir sua saúde e bem-estar.

Enquanto isso, lembre-se de manter uma alimentação saudável, fazendo uma boa hidratação diária e praticando exercícios físicos regularmente. Seu corpo agradece!

Gostou deste texto? Compartilhe em suas redes sociais!

+ Saiba mais
Compartilhe:

08/09/2020

Dicas para fortalecer a imunidade

Com mudanças repentinas de temperatura e a constante exposição a doenças, é cada vez mais importante estar com a saúde em dia e garantir a defesa do organismo contra infecções.

Para ter um sistema imunológico forte, algumas atitudes são fundamentais e devem ser empregadas na rotina.

Neste texto, separamos quatro dicas para fortalecer a imunidade, além de explicar melhor seu funcionamento e quais os sintomas que devem receber atenção. Confira!

O que é imunidade?

Segundo o CCM Saúde, a imunidade consiste em vários mecanismos que defendem o organismo contra agentes infecciosos, como vírus, bactérias e fungos.

Existem dois tipos de imunidade: a inata e a adquirida.

  • Imunidade inata: nós já nascemos com esse tipo de imunidade, que atua sempre de maneira igual para evitar doenças. A pele, leucócitos e mucosas são alguns componentes da imunidade inata.
  • Imunidade adquirida: desenvolve-se quando temos contato com algum agente invasor estranho e o corpo reage. A partir dessa ação, o organismo cria uma “memória” e pode combater esse micróbio em específico de forma mais rápida e efetiva, caso ocorra um novo ataque.

Como identificar a imunidade baixa?

A imunidade baixa, também chamada de imunodeficiência, acontece quando o organismo não produz células de defesa suficientes para reagir aos agressores. Dessa forma, ficamos mais expostos às doenças.

Alguns sintomas dessa condição são:

  • infecções constantes, como gripes e resfriados;
  • vômitos, diarreia ou náusea;
  • cansaço, febre ou calafrios excessivos;
  • unhas fracas ou queda de cabelo.

Dicas para fortalecer a imunidade

A principal dica para fortalecer a imunidade é ter uma alimentação saudável, sugestão que já mencionamos em outro texto sobre suplementos que auxiliam o funcionamento do sistema imunológico.

Abaixo, você confere mais dicas: 

1. Durma adequadamente

O sono é fundamental para um corpo saudável. Procure dormir regularmente entre 8 e 10 horas por dia. Você precisa repor as energias gastas e à noite é o melhor momento.

Confira: 5 dicas para dormir bem e ter dias muito melhores

2. Beba água com frequência

O Ministério da Saúde recomenda a ingestão mínima de dois litros de água por dia. Se você tem dificuldade em lembrar dessa necessidade, utilize um despertador com horários específicos para você se hidratar.

Sucos, chás e leite não são indicados para substituir a água, pois são compostos por outros elementos que podem ser prejudiciais à saúde, como o açúcar.

3. Pratique exercícios físicos

Realize, no mínimo, 30 minutos de atividades diárias. Elas ajudam a evitar o estresse, grande inimigo da imunidade, e aumentam a quantidade de anticorpos.

Aproveite o seu tempo e movimente-se: 5 exercícios para praticar em casa!

4. Exponha-se ao sol

Ao expor os braços e pernas na luz solar, o corpo produz a vitamina D, essencial para reforçar o sistema imunológico.

Separe 15 minutos por dia, entre 10h e 14h, tempo suficiente e ideal para garantir o nutriente.

Agora que você já sabe como fortalecer sua imunidade, o que acha de divulgar essas dicas? Compartilhe este texto em suas redes sociais!

+ Saiba mais
Compartilhe: